Categoria: Investigador Integrado não Doutorado

Formação académica: Planeamento e Gestão do Território, SIG e Modelação Territorial Aplicados ao Ordenamento do Território e Geografia Física

Grupo de investigação: ZEPHYRUS

Email: pedro-freitas@campus.ul.pt

Interesses de investigação: Sistemas de Informação Geográfica; Deteção Remota; Alterações climáticas; Permafrost; Lagos termocársicos

ORCID: 0000-0003-0752-0490

Ciência Vitae: 5414-EEC9-5F64

Outras ligações:
LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/pedro-freitas-ceg-igot-ulisboa/
ResearchGate: https://www.researchgate.net/profile/Pedro-Freitas-10
Google Scholar: https://scholar.google.com/citations?user=UMhWAcsAAAAJ

Resumo biográfico

Pedro Freitas fez a sua licenciatura em Planeamento e Gestão do Território, seguindo-se o mestrado em Sistemas de Informação Geográfica e Modelação Espacial Aplicados ao Ordenamento do Território no IGOT – ULisboa. Atualmente é estudante de doutoramento financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) na área da Geografia Física e investigador associado ao CEG/IGOT -ULisboa, desde 2019. Está envolvido em vários projetos na área da geografia, análise especial e deteção remota, tais como, o Nunataryuk (H2020 – erosão costeira no Ártico), Planta II (FCT – caracterização de comunidade vegetais em sapais) e, mais recentemente, o PERMAMERC (FCT – ciclo do mercúrio e dinâmicas de variação de cor de lagoas em paisagens com termocarso do Ártico e Subártico). Integra ainda vários projetos do Programa Polar Português (PROPOLAR – FCT), nomeadamente, o SHRUBIFLY e o THAWPOND. Estes dois últimos enquanto parte integrante do seu doutoramento que visa o estudo das alterações dos ecossistemas terrestres e dinâmicas biogeoquímicas de lagos termocársicos nas regiões com permafrost do Ártico e Subártico do Canadá. Publicou o seu primeiro artigo na revista Remote Sensing em 2019, focado no potencial das imagens do satélite Sentinel-2 para o mapeamento, caracterização e monitorização das propriedades espectrais de pequenos lagos termocársicos (< 1ha) recentemente formados (desde o final da Pequena Idade do Gelo há cerca de 200-300 anos).[/fusion_text][/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]