Nome: Carlos Silva Neto

Categoria: Investigador Efetivo

Formação académica: Doutoramento em Geografia física – Biogeografia (, 1999)
Licenciatura em Geografia (universidade de Lisboa, 1985)

Grupo de investigaçãoZEPHYRUS

Email: cneto@campus.ul.pt

Interesses de investigação: Biogeografia; Ciências da vegetação; Mudanças ambientais; Geobotanica; Fitossociologia

Resumo biográfico

Carlos Silva Neto é um biogeógrafo cujas principais áreas de interesse estão focadas na biogeografia, ecologia das plantas, fitossociologia e geografia física.
No que respeita à flora a sua investigação reparte-se pelas componentes de taxonomia, auto-ecologia, corologia, cartografia, políticas de conservação e biologia molecular.
Quanto à vegetação a investigação vira-se principalmente para a descrição de comunidades vegetais e as suas relações com as características físicas dos biótopos e a ação do homem.
O impacto das mudanças ambientais na flora e vegetação é outra área de investigação importante no seu curriculum, especialmente:
1. O impacto da subida do nível do mar nos sapais, lagunas e dunas costeiras;
2. A importância das mudanças na ocupação e uso do solo na flora e vegetação;
3. Modelação do impacto das mudanças ambientais (especialmente alterações climáticas) na distribuição espacial futura das comunidades vegetais e dos taxa;
4. Políticas de gestão para a mitigação dos impactos das mudanças ambientais nos ecossistemas naturais, especialmente em áreas costeiras.
Estas linhas de investigação apresentam sempre uma forte componente de contribuição para o planeamento, ordenamento e gestão do território.

Publicações relevantes

ALMEIDA D., NETO C., ESTEVES L., COSTA J. C. 2014. The impacts of land-use changes on the recovery of saltmarshes in Portugal. Ocean & Coastal Management 92: 40-49.

NETO C., FONSECA J. P., COSTA J. C. & BIORET F. 2014. Ecology and phytosociology of endangered psammophytic species of the Omphalodes genus in Western Europe. Acta Botanica Gallica 162(1):28-37.

COSTA J.C., NETO C., MARTINS M. & LOUSÃ M. 2011. Annual Dune Plant Communities in the Southwest Coast of Europe. Plant Biosystems. 141(1): 91-104.

MARTINS M., NETO C. & COSTA J.C. 2013. The meaning of mainland Portugal beaches and dunes’ psammophilic plant communities: a contribution to tourism management and nature conservation. Journal of Coastal Conservation 17(3): 279-299

COSTA J. C., ARSÉNIO P., MONTEIRO-HENRIQUES T., NETO C., PORTELA-PEREIRA E., ALMEIDA T. & IZCO J. 2009. Finding the Boundary Between Eurosiberian and Mediterranean Salt Marshes. Journal of Coastal Research 56:1340-1344

NETO C., CAPELO J., SÉRGIO C. & COSTA J.C. 2007. The ADIANTETEA class on the cliffs of SW Portugal and of the Azores. Phytocoenologia, 37(2): 221-237.

Projetos de investigação

2013 – 2016 Projeto “TAXUS – Restoring yew thickets 9580* Mediterranean Taxus baccata woods”, co-financiado pelo Programa Life+ da União Europeia, através do contrato LIFE12 NAT/PT/000950 [execução das ações A1. (Avaliação da situação inicial do habitat, inventariação das populações existentes e identificação de áreas prioritárias a intervir) e D.1 (Monitorização das ações concretas e avaliação dos resultados globais do projeto)]

2012 – 2015 Projeto EDP biodiversidade. Atlas da vegetação ripícola de Portugal Continental.

2012 – 2014 R&D Projeto FCT (Fundação para a Ciência e Tecnologia). Consequências das alterações climáticas passadas e presentes nos padrões de biodiversidades de ambientes turfosos: dos genes às comunidades.

2010-11 – Estudo da flora, vegetação e fauna das ribeiras de Alferreira, Barrocas e Ribeira da Margem (Gavião), com o objetivo da sua integração na Rede Natura 2000.

2003–06 ALFA (2003). Typology of natural Habitats and seminatural of the 92/43/CEE Directive (mainland Portugal): Sectorial Plan of the Natural 2000 Network.

Outros

2010-11 – Estudo da flora e vegetação das pedreiras Maceira-Liz (SECIL) com o objetivo da sua recuperação.

2008 – Projeto de recuperação das pedreiras de Pataias (SECIL).

2008-09 – Identificação das espécies da flora presentes na Parque de Monserrate e elaboração de um relatório do estado da flora e vegetação do parque. Este trabalho foi feito para a empresa municipal “Parque de Sintra-Monte da Lua SA”.