Entre os passados dias 11 de Fevereiro e 5 de Março, a equipa do projeto PERMANTAR – Permafrost and climate change in the Western Antarctic Peninsula, levou a cabo uma campanha na Península Barton (ilha de Rei Jorge, Shetlands do Sul), em que realizou uma nova perfuração com 13 m de profundidade, em substrato rochoso. A perfuração inclui um sistema de monitorização de temperaturas do permafrost com 15 sensores, sendo acompanhada por dois sistemas de monitorização de temperaturas do ar e vinte sistemas de monitorização da temperatura de superfície do solo. Este novo observatório da rede PERMANTAR (http://permantar.weebly.com) vai integrar a Global Terrestrial Network for Permafrost (https://gtnp.arcticportal.org/) e complementa os observatórios da rede PERMANTAR, mantida pelo CEG/IGOT – Universidade de Lisboa, em Amsler Island, Cierva Point, Deception Island, Livingston Island e Dundee Island, ao longo de mais de 400 km na Península Antártica Ocidental. A equipa de campo foi constituída por Gonçalo Vieira, Carlos Neto e Joana Baptista (CEG/IGOT) e Daniel Vonder Muehll (ETH, Suiça). A equipa contou também com o apoio no terreno dos colegas Pedro Pina e Vasco Miranda (CERENA/IST) do projeto VEGETANTAR. O projeto PERMANTAR é financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia através do Programa Polar Português, e a presente campanha contou com o apoio também do Swiss GCOS Office. O Korean Polar Research Institute, parceiro no projeto, prestou apoio logístico na Antártida. Aceda aqui a fotografias da campanha